Hotéis veganos são tendência que chega ao Brasil

A filosofia vegana rompeu as fronteiras da gastronomia, tornando-se uma tendência na hotelaria mundial, em especial na Europa. A ausência total de produtos de origem animal no cardápio caracteriza esses estabelecimentos. Há também aqueles que não se dedicam exclusivamente ao público vegano, mas que se apresentam como vegan friendly.

No Brasil, não faltam faltam hotéis e pousadas que atendem bem a hóspedes que dispensam produtos de origem animal. A maioria se concentra na Região Sudeste. Público não falta: o país tem mais de 30 milhões de adeptos do veganismo e do vegetarianismo, segundo pesquisa feita pelo Ibope em 2018.

Considerado o primeiro hotel brasileiro associado à filosofia vegana, o Serra da Estrela foi inaugurado em 2015, em Campos do Jordão (SP). Ali, o Restaurante Alquimia tem como destaque o cardápio vegetariano. Em Penedo (RJ), o Rituaali é ainda mais exclusivo: não serve nenhum alimento de origem animal. E deixa claro que seu foco está na saúde e no bem-estar.

Em Pedra Selada (RJ), os Chalés Kurumã privilegiam produtos da própria horta. “O que não conseguimos produzir, adquirimos de outros produtores locais, com a mesma ideia orgânica”, diz a proprietária, Rosana Soares.

Especialista em plantas comestíveis não convencionais, Rosana afirma:  “A ideia aqui inclui alimentação saudável, não ter barulho, não ouvir música alto, não fazer churrasco. É uma desconstrução do que as pessoas fazem no seu dia a dia e da vida estressante da cidade.”

 

CULINÁRIA AYURVEDA APRENDIDA NA ITÁLIA

Em Visconde de Mauá (RJ-MG), Teresa Rocco e Odilon Barros Pinto Júnior inauguraram há cinco anos a Estalagem Terra Mauá. O estabelecimento permite a Teresa praticar os dotes culinários adquiridos durante os anos que o casal viveu na Itália. Ela preconiza a cozinha ayurveda, que aprendeu convivendo com a chef Elizabeth Nunes. “Aqui temos nossa horta e produzimos artesanalmente muitas coisas que oferecemos”, diz ela.

No Vale do Matutu, nos arredores da cidade mineira de Aiuruoca, o Patrimônio do Matutu é uma opção peculiar: os hóspedes caminham 40 minutos por uma trilha para chegar ao estabelecimento, em meio a uma bela paisagem verde. A bagagem é transportada em mulas. À noite, velas são acesas na casa, que não disponibiliza luz elétrica. E uma grande horta própria é capaz de atender bem ao público vegano.

Em Monte Verde (MG), o Lavandas na Varanda é outro estabelecimento que preconiza a conexão dos hóspedes com a natureza. E em Imbituba, Santa Catarina, a Pousada Rosa Verde encarna a filosofia vegana também na pintura dos quartos, feita com pincéis de cerdas 100% naturais.

 

CASA DO SÉCULO XI É HOTEL VEGANO NA ESPANHA

Na Europa, os hotéis veganos chegaram com força e se multiplicam. Em Pitlochry, na Escócia, o Saorsa 1875 se apresenta como o primeiro hotel vegano do Reino Unido. Inaugurado em 2018, fica numa casa vitoriana do século XIX e oferece um cardápio exclusivamente à base de plantas, focando em produtos sazonais. Não faltam também cervejas artesanais, vinhos e coquetéis inspirados.

Em Solsonès, na província espanhola de Lleida, o casal Megan e Joel transformou um patrimônio do século XI em seu projeto de vida: a Casa Albets, um hotel ecológico e vegano. Eles priorizam a produção local, a sustentabilidade e a autossuficiência. A água é aquecida por um boiler de biomassa e reaproveitada. Os móveis são feitos de madeira da própria propriedade de quase duzentos hectares, dos quais 170 são ocupados por uma floresta.

Na Espanha, outra opção é a Villa Vegana, em Mallorca. Ali, a culinária vegana é eclética, incluindo pratos inspirados nas tradicionais cozinhas mediterrânea, africana, oriental e sul-americana, entre outras. Em Bruges, cidade medieval da Bélgica e um dos maiores polos turísticos do país, o AM/PM é uma opção de hospedagem que oferece café da manhã vegano.

Celina Côrtes é jornalista, escritora e mantém o blog Sair da Inércia.