ONU anuncia US$ 40 bi em prol de igualdade de gênero

Quarenta bilhões de dólares em investimentos para reduzir a desigualdade de gênero em cinco anos. Foi este o compromisso assumido por governos, organizações e empresas que participaram do Generation Equality Forum, promovido pela ONU em parceria com os governos de México e França.

A inédita agenda de ações do Plano de Aceleração Global para Igualdade de Gênero, lançado no evento, foi assumida em meio à constatação de que os impactos da pandemia têm sido mais graves sobre mulheres e meninas – e diante de apelos para que elas não sejam deixadas para trás na reconstrução do mundo. O presidente da França, Emmanuel Macron, classificou o coronavírus de “vírus antifeminista”.

Realizado durante três dias, e em sua maior parte em formato virtual, o fórum foi o maior evento sobre o tema desde 1995, quando Pequim sediou a Conferência das Mulheres. Envolveu quase 50 mil pessoas, incluindo chefes de Estado e de governos. O Brasil optou por não participar.

A jornada de ações prevista inclui programas de combate à violência contra a mulher; a expansão do programa assistencial Global Alliance for Care, iniciado pelo governo do México e pela ONU Mulheres para melhorar os cuidados com crianças; e outras iniciativas voltadas para educação, cultura, esportes, meio ambiente, gravidez, direitos humanos, redução da sobrecarga na criação de filhos e maior participação econômica de mulheres.

A falta de investimentos tem sido considerada um dos principais motivos do lento avanço para a igualdade de gênero no mundo. Ao fim do evento, governos e instituições públicas se comprometeram com US$ 21 bilhões, o setor privado com US$ 13 bilhões, organizações filantrópicas com US$ 4,5 bilhões e entidades da ONU e outras organizações com US$ 1,3 bilhão. Os organizadores do fórum esperam que outros participantes se juntem ao compromisso a ser cumprido até 2026.

 

REDES SOCIAIS PROMETEM MELHORAR SEGURANÇA DAS MULHERES

A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, anunciou investimentos de US$ 1 bilhão para combate à violência doméstica e sexual em seu país. Ela e outros líderes abordaram em seus pronunciamentos o avanço do conservadorismo e do autoritarismo no mundo. “A democracia está em perigo no mundo”, afirmou Harris. “E quem é afetado quando democracias caem? Mulheres e crianças estão entre os mais afetados.”

“O Generation Equality Forum marca uma mudança positiva e histórica no poder e na perspectiva”, declarou Phumzile Mlambo-Ngcuka, diretora-executiva da ONU Mulheres e ex-vice-presidente da África do Sul. “Juntos, mobilizamos diferentes setores da sociedade, de sul a norte, para nos tornarmos uma força formidável, disposta a iniciar um novo capítulo na igualdade de gênero.”

Ela acrescentou: “O ecossistema de parceiros do fórum – e os investimentos, compromissos e energia que eles estão trazendo para confrontar as maiores barreiras à igualdade de gênero – irão assegurar um progresso mais rápido do que já vimos para as mulheres e meninas do mundo.”

Um dos maiores investimentos anunciados foi o da Bill e Melinda Gates Foundation: US$ 2,1 bilhões. A PayPal prometeu US$ 100 milhões. Facebook, Google, TikTok e Twitter disseram que vão melhorar a segurança das mulheres em suas plataformas.

Entre os objetivos dessas redes sociais estão medidas de proteção à navegação, redução das agressões e apoio a denúncias. Segundo uma pesquisa da Web Foundation, 38% das mulheres ou pessoas que se identificam com o gênero feminino já sofreram agressões online.