Quebrando preconceitos!

Esse texto elaborei contra os “Gremlins do preconceito”, que habitam minha mente, e divido com vocês porque eles também habitam várias mentes por aí!

Andando pela livraria, concentrada na busca por um livro, tive minha atenção roubada por uma senhora de sessenta e muitos anos, cabelos castanhos e uma franja azul!

Na hora, meus olhos se fixaram na colorida franja e numa fração de segundos me peguei dentro de um plano preconceituoso e arcaico!

Saí correndo de tais “pensamentos condenatórios” e passei a admirar aquela mulher, que na sua tranquilidade, mal desconfiava do que se passava na parte pré-histórica da minha mente.

Fiquei ali, observando-a por mais alguns minutos, enquanto minha admiração e respeito por ela aumentavam.

Senti uma enorme vontade de me apresentar: “Oi, desculpe incomodá-la, mas precisava agradecer por me fazer olhar e também me afastar do lado negro da força que existe em mim (onde vivem os Gremlins do preconceito) e assim, me fazer querer ser como você quando eu crescer, ou seja, me sentir confortável com minhas escolhas e decisões, seja um cabelo novo, um emprego novo, um novo amor, uma nova casa, uma nova vida.” Mas segurei a onda, e simplesmente, sorri e falei boa tarde, quando nossos olhos se encontraram.

Anos de psicologia, pós-graduações, cursos, palestras, projetos na área de desenvolvimento humano, e ainda tinha essas recaídas toscas. Bom, mas como tudo na vida tem seu lado positivo, saí da livraria muito grata, primeiro por ver a importância de me aceitar como sou, metade Luz e metade Sombra. Mas principalmente por saber que a Luz está com força suficiente para me resgatar quando a Sombra tentar dominar a área.

Compartilho essa experiência porque muito mais do que títulos, o que transforma uma pessoa É O RESPEITO DE UM SER HUMANO PELO OUTRO. Gratidão à linda escola chamada Vida e àquela linda senhora feliz e azul!

Por Renata Sales