Tecnologia promete dar passos largos em 2021

O ano de 2021 chegou prenunciando uma série de avanços tecnológicos no mundo, a começar pelo aumento do uso de veículos autônomos nos Estados Unidos. Em Phoenix, Arizona, já são mais de trezentos carros sem motorista em operação. O crescimento do setor ali é liderado pela empresa Waymo One, que planeja ampliar o serviço no país. E a concorrência se mobiliza. A Cruise, da General Motors, e a Lyft já testam esse tipo de veículo em São Francisco, Califórnia. Na China, a AutoX começou a testar carros sem motorista em dezembro.

Os carros autônomos fazem parte de uma relação de desenvolvimentos tecnológicos previstos para o ano, elaborada pela BBC, e abrangendo áreas diversas. No setor aéreo, a corrida é por aviões de menor impacto ambiental. A Airbus tem três projetos de avião movido a hidrogênio. Já a Rolls-Royce trabalha num avião elétrico, Spirit of Innovation, que promete voar a quase 500 quilômetros por hora, superando o recorde de velocidade para esse tipo de aeronave.

A consagração do home office propicia outro mercado em expansão para empresas de tecnologia. Esperam-se novas e melhores ofertas de provedores da internet e outras ferramentas para facilitar o trabalho em casa. Destacam-se mecanismos para garantir a segurança da navegação e serviços que favorecem a colaboração entre aqueles que trabalham remotamente. Cresceu, por exemplo, a demanda pelos quadros-brancos digitais, que trazem uma representação visual de projetos e rascunhos desenvolvidos por equipe.

 

EXPANSÃO DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

O comércio indica uma combinação de ambientes online e off-line. A Amazon planeja expandir suas lojas Go, com caixas de pagamento autônomos. Os clientes pegam seus produtos e vão embora, enquanto câmeras e um sistema de inteligência artificial rastreiam o que foi tirado das prateleiras e garantem a cobrança. Já são vinte lojas desse tipo nos EUA, e este ano elas deverão chegar ao Reino Unido. Como evitam o contato com superfícies, tendem a ser valorizadas em tempos pós-Covid.

Para o fim do ano está previsto o leilão da tecnologia 5G, que pretende revolucionar a comunicação no planeta, assim como o trabalho remoto. Segundo o site Mundo + Tech, da Embratel, o 5G vai assegurar operações online quase sem interrupções, que são frequentes nas aplicações em nuvem das operações digitais. Com isso, vai agregar valor aos negócios realizados por  empresas.

Outra aposta do site é a internet das coisas (IoT), que vai potencializar a tecnologia 5G, e vice-versa. A previsão é que este ano já funcionem 35 bilhões de dispositivos de IoT, não apenas domésticos, mas também entre assistentes virtuais e smartphones de empresas.

A IoT e o 5G trazem com eles um crescimento num setor vital para o funcionamento adequado de ambos: a cibersegurança. No ano passado, cresceram muito as tentativas de invasão e ataques, e o trabalho remoto tende a aumentar esses riscos.

O ano promete ainda democratizar a inteligência artificial, que passará a ser mais usada por empresas como a Netflix – neste caso, para recomendar filmes e séries a seus usuários. Seja na Netflix, no Spotify ou no Google, os algoritmos seguem perseguindo os interesses do usuário.