App estimula fala e aprendizado de crianças especiais

Mãe de uma menina portadora de síndrome de Down, a jornalista e escritora Mariana Reade atesta o valor do aplicativo Fofuuu: “A maior qualidade está no aporte lúdico, no aprender brincando.” O app se apresenta como “a forma mais divertida de estimular o desenvolvimento da fala e da linguagem”. E vem colecionando usuários, fãs e prêmios.

Por meio das ferramentas Fofuuu Edu e Fofuuu Fono, o dispositivo oferece brincadeiras interativas a crianças com idade entre 2 e 7 anos que apresentam autismo, Down e transtornos de aprendizagem. A proposta é desenvolver a alfabetização, a coordenação motora fina, a cognição, o processamento auditivo, a consciência fonológica, a memória sonora e visual e o vocabulário. Os três “us” do nome são a onomatopeia do som do vento.

O Fofuuu foi criado pela designer mineira Tricia Araújo. Sua ideia era ajudar crianças que enfrentam dificuldades de desenvolvimento como as que ela própria viveu. Tricia nasceu com lábio leporino e precisou passar por quinze cirurgias e oito anos de terapia para reabilitar a fala.

“O aplicativo foi lançado no início da pandemia”, contou Tricia ao R.evolution Club. “Quando vimos que poderia ser útil para mais crianças especiais, falamos também com pais, neurologistas, pediatras e psicólogos governamentais e fizemos um relançamento na semana passada. Já estamos impactando 35 mil crianças de 500 cidades brasileiras.”

Unindo aprendizado e diversão, Fofuuu tem atrativos como uma vaquinha malhada que estimula a ativação da voz, ao lado de um microfone. E a voz da criança também é protagonista, controlando algumas das atividades que, quando cumpridas, são premiadas com fichas de recompensa. Essas atividades incentivam expressividade, interação, articulação e consciência fonoaudiológica.

 

REVER CONCEITOS E NÃO SE INFLUENCIAR POR ESTEREÓTIPOS

Como numa viagem, um trenzinho colorido pilotado por uma maquinista dá a partida. Para crianças com Down, é usada uma metodologia de neurociência para atrair a atenção e o envolvimento. Para os autistas, o método é a análise de comportamento aplicada, que torna o aprendizado acessível a crianças com algum tipo de deficiência. Tudo isso ao som de músicas exclusivas.

No ano passado, a Fofuuu recebeu o Prêmio Santander X Tomorrow Challenge. Em 2019, ganhou o Prêmio Itamaraty – Unesco. E em 2016, o Prêmio Empreenda Saúde, oferecido pela Everis.

A equipe Fofuuu disponibiliza suporte aos usuários quando necessário e traz dicas sobre aplicativos semelhantes. Mariana Reade diz que costuma acessar também o Edu Edu e o canal do YouTube Minha Vida com Alice. Ela promete para o mês que vem o lançamento do livro Quem sou eu?, inspirado em sua experiência com a filha Carolina, hoje com 7 anos.

Em 21 de março, Dia Internacional da Síndrome de Down, Mariana assinou um artigo na revista Pais e Filhos sobre sua vivência com Carolina. Abordou a importância de rever conceitos e não se influenciar por estereótipos, o que ela chama de página em branco,  “ou seja, dar a cada criança a chance de ser enxergada como é, sem começar a folha com palavras escritas por outros”.

Sobre ela e o marido, comentou: “Encontramos dentro de nós um olhar positivo, talvez tenha sido sorte, pois um mostrou ao outro que éramos capazes de lidar bem com o belo desafio que a vida nos dava.”

Celina Côrtes é jornalista, escritora e mantém o blog Sair da Inércia.