Cultivando a curiosidade para viver melhor

Ao vermos uma criança descobrindo algo, a felicidade é nítida em seus olhinhos brilhantes. Infelizmente, ao crescer, muita gente vai perdendo a empolgação diante de uma descoberta. São muitas, porém, as maneiras de se reconectar com essa criança interior por meio da curiosidade.

A verdade é que subestimamos o quanto a curiosidade pode afetar positivamente a nossa vida, às vezes por a considerarmos uma atitude infantil ou irrelevante. Mas ela é capaz de melhorar a nossa saúde e até nossas relações.

A partir da análise do modo como a curiosidade afeta o desempenho nos estudos e no trabalho, pesquisadores da Associação Psicológica Americana e de outras instituições constataram que mentes mais famintas de conhecimento e compreensão têm mais facilidade de aprendizado, mais foco e mais produtividade.

Além de ter impacto positivo sobre as vidas acadêmica e profissional, a curiosidade pode melhorar a qualidade das relações, já que a demonstração de interesse genuíno sobre o outro e o que ele tem a dizer é perceptível e gera empatia e conexões mais profundas.

Nossa felicidade e bem-estar também são elevados pela curiosidade. Pesquisas mostram que indivíduos mais curiosos têm mais emoções positivas. Isso porque a sede de superar obstáculos e obter respostas melhora a absorção de informações, gerando mais satisfação na vida.

A saúde cerebral se desenvolve por estarmos estimulando novas sinapses, conectando o conteúdo com questões já conhecidas pelo nosso cérebro e estimulando a memória e o foco.

Para inserir a curiosidade no seu dia a dia, seguem algumas ideias simples:

  • Faça mais perguntas. O simples fato de questionar o que nos foi apresentado é importante para adotar um olhar mais crítico, observador e atento. Ao tirarmos dúvidas, estamos passando a compreender um assunto de forma mais profunda.
  • Leia sobre assuntos diversos. A leitura é uma excelente ferramenta para aumentarmos nosso repertório e colhermos assuntos e pontos de vista divergentes dos nossos. Permite nos aprofundarmos em temas, até mesmo aqueles pelos quais normalmente não nos interessaríamos.
  • Esteja mais presente. Independentemente da pessoa com quem estiver conversando, priorize estar presente e atento ao outro. Isso estimula conexões mais profundas e reais com o outro e gera mais empatia. Ouça o que o outro tem a dizer sem ficar pensando no que você dirá em seguida. Permita-se absorver e aprender com a vivência dessa pessoa, e faça perguntas sobre ela.
  • Desenvolva uma mentalidade de crescimento. Às vezes nos acostumamos a olhar o mundo com as mesmas lentes, o que nos impede de rever valores e opiniões. Mude sua perspectiva sobre aquilo que é casual para você e experimente observar o mundo que lhe cerca com a mente aberta a oportunidades e expansão.

É importante ter consciência de que essas mudanças acontecem aos poucos e que todo processo é individual, portanto não se sinta pressionado, mas sim motivado a escolher ser melhor a cada dia.

“A curiosidade é uma das características certas e permanentes de um espírito vigoroso”, disse o escritor inglês Samuel Johnson (1709-1784). Já o cientista alemão Albert Einstein (1879-1955) afirmou: “O mais importante é nunca parar de questionar. A curiosidade tem uma razão para existir. Nunca perca sua sagrada curiosidade.”

Sophia MAC, criadora de conteúdo e podcaster.