Menino faz sucesso com site para vacinação de idosos

Como aconteceu com muitas crianças durante a pandemia, o americano Samuel Keusch, de 12 anos, estava sofrendo com a falta do convívio com os avós, medida que costuma ser adotada para evitar o contágio de idosos. Sua reação, porém, não foi apenas se lamentar. Ele teve a ideia de criar o Vaccine Helper, um site para facilitar a vacinação da turma da terceira idade em seu estado, Nova York.

O processo é simples, e à prova da frequente dificuldade dos idosos para lidar com tecnologia. Primeiro, o site esclarece se a pessoa tem direito à vacina. Confirmada essa informação, a pessoa preenche os dados necessários para que seja marcada a vacinação. De posse dessas informações, o próprio Samuel parte para marcar a consulta em local e horário apropriados. O menino já conseguiu agendar mais de 3 mil vacinações.

Samuel estava prestes a celebrar o Bar Mitzvah, ritual dos judeus que simboliza a entrada na vida adulta. Para isso, precisava apresentar um projeto com o objetivo de ajudar sua comunidade. De início, pensou em fazer doações. Mas quando viu seu pai ensinando seus avós e vizinhos a marcar consultas teve a ideia de criar o site.

O menino contou ter chegado à conclusão de que o site beneficiaria um número maior de pessoas e seria algo mais duradouro. “Eu já estava pensando no projeto do Bar Mitzvah, e pensei que isso (o site) não poderia ser tão difícil. Então decidi ajudá-los (os idosos)”, disse ele à CBS News.

 

SERVIÇO FOI ESTENDIDO A PROFESSORES E DEFICIENTES

Como costuma acontecer com projetos bem-sucedidos na internet, os acessos ao Vaccine Helper cresceram em progressão geométrica. A propaganda boca a boca ajudou a popularizar o site, e os e-mails de agradecimento se multiplicaram.

Sobre o resultado de sua iniciativa, Samuel afirmou: “É incrível ver os idosos podendo viver a vida sem estar em perigo total o tempo todo.” Ele constatou que a demora para marcar a vacinação pode ser de dois dias, mas afirmou que em geral consegue fazer isso em um dia.

“Pessoas me disseram que finalmente puderam ver seus netos pela primeira vez. Isso é incrível, porque é duro não poder ver os netos”, afirmou o menino. O sucesso do empreendimento o levou a estender seu trabalho a outros grupos priorizados na vacinação, como professores e portadores de deficiência física.

Aluno da sétima série de uma escola na vila de Scarsdale, no condado de Westshester, Samuel acabou ficando conhecido por inventar uma ferramenta de utilidade oportuna, e à prova da falta de intimidade de idosos com a internet. Construído no Google, o serviço é gratuito.