Café coado reduz a exposição a doenças cardíacas

Você já se perguntou se a forma como prepara o café é saudável? Segundo um pesquisador da Universidade de Gotemburgo, Suécia, existe uma conexão clara entre métodos de fabricação de café, ataques cardíacos e longevidade. O estudo apontou que o café não filtrado contém substâncias que aumentam o colesterol no sangue. Ao usar um coador, removemos essas substâncias, reduzindo a probabilidade de ataques cardíacos e a morte prematura.

O café é uma das bebidas mais populares e o estimulante nootrópico é um dos mais consumidos em todo o mundo. Está provado desde os anos 1990 que o café, em estado bruto, está relacionado ao aumento do colesterol em nosso corpo, em especial, o colesterol LDL. Experimentos identificaram quais são as substâncias responsáveis ​​pelo aumento do colesterol, e descobriram que elas poderiam ser removidas do café com o uso de um filtro. Verificou-se que uma xícara de café não filtrado contém uma concentração 3.000% maior de substâncias lipídicas em comparação com o café coado; um hábito que pode salvar vidas com o passar dos anos.

Amostragem complexa

Para chegar a essa conclusão, foi preciso montar um grande estudo populacional, entre 1985 e 2003, com mais de meio milhão de participantes de diferentes idades, que preencheram um questionário sobre a quantidade e o tipo de café consumido. Também foram coletados dados sobre variáveis ​​que poderiam influenciar o consumo de café e doenças cardíacas, como tabagismo, atividade física, altura, peso, pressão arterial e colesterol.

Os participantes foram acompanhados por uma média de 20 anos. Um total de 46.341 participantes morreram. Desses, 12.621 óbitos foram devidos a doenças cardiovasculares. Das mortes cardiovasculares, 6.202 foram causadas por um ataque cardíaco. Para a comorbidade da doença cardiovascular, o café coado foi associado a um risco de morte reduzido de 12% entre homens, e um risco de morte reduzido em 20% nas mulheres, em comparação com quem não consumia café, ou tomava café não filtrado. A menor taxa de mortalidade prevaleceu entre os consumidores que bebiam de 1 a 4 xícaras de café coado por dia.

Como a amostragem da pesquisa era muito extensa e variada, essas conclusões não podem ser explicadas por nenhuma outra variável, como idade, sexo ou hábitos. Mas, os estudos compravam que beber café coado pode realmente reduzir sua exposição a doenças cardiovasculares.